quinta-feira, 13 de maio de 2010

O USO DA TERRA NO MEIO RURAL

O uso da terra no meio rural brasileiro é classificado em:
1. Grande agricultura comercial;
2. Pequena agricultura comercial e de subsistência;
3. Pecuária intensiva;
4. Pecuária extensiva.
A GRANDE AGRICULTURA COMERCIAL é caracterizada pela intensa produtividade, resultante da utilização de técnicas modernas. No Brasil, os grandes agricultores comerciais têm melhores oportunidades para modernizar e aumentar a produtividade de suas lavouras. Eles produzem principalmente para o mercado externo. Assim, conseguem com mais facilidade crédito por parte dos governos estaduais e federal, que têm interesse em manter ou ampliar as exportações do país. As fazendas que praticam a grande agricultura comercial contratam mão-de-obra especializada, como engenheiros agrônomos, veterinários, administradores, especialistas em informática, entre outros.
No meio rural brasileiro, há trabalhadores temporários em todas as atividades. São contratados por um curto período, às vezes poucos dias, cumprindo longas jornadas diárias, sem nenhuma garantia trabalhista. Na grande agricultura comercial, é costume contratar muitos trabalhadores na época da safra. Esses trabalhadores temporários são denominados VOLANTES ou BÓIAS-FRIAS, em São Paulo, TRABALHADORES DE FORA, no Nordeste, e PEÃO, na Amazônia.
Na PEQUENA AGRICULTURA COMERCIAL E DE SUBSISTÊNCIA, a utilização de equipamentos e técnicas modernas ocorre num grau bem menor que na grande agricultura comercial. A maior parte da mão-de-obra utilizada na pequena agricultura é familiar e a produção destina-se, principalmente, à própria subsistência, isto é, ao sustento da família, e à comercialização no mercado interno. Produtos tradicionais da mesa brasileira, como a mandioca, o milho, o feijão e as hortaliças, por exemplo, provêm da pequena agricultura comercial e de subsistência.
Nosso país está entre os maiores produtores e exportadores mundiais de carne de animais de grande e pequeno portes. Entre os animais de grande porte, destacam-se o bovinos (bois e vacas), os suínos (porcos), os caprinos (cabras e bodes) e os ovinos (carneiros e ovelhas). Entre os animais de grande porte, destacam-se o bovinos (bois e vacas), os suínos (porcos), os caprinos (cabras e bodes) e os ovinos (carneiros e ovelhas). Desses, o rebanho mais numeroso é o de bovinos. Essa criação é predominante na Região Centro-Oeste e avança cada vez mais para a Amazônia, resultando na devastação da floresta.
A PECUÁRIA INTENSIVA consiste na criação de gado em ambientes fechados, com a utilização de modernas técnicas e equipamentos, que permitem maior produtividade. No Brasil, ela é predominante nas regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste e em algumas áreas do Nordeste.
Já na PECUÁRIA EXTENSIVA o gado é criado solto nas áreas de pastagens, e praticamente não há o uso de técnicas ou equipamentos modernos. A produtividade nesse tipo de atividade é mais baixa que nos sistema intensivo. No Brasil, a pecuária extensiva ocorre, principalmente, em áreas do Nordeste e do Mato Grosso, avançando para a Região Norte.
A prática do extrativismo vegetal está relacionada, principalmente, às áreas de floresta. Da Floresta Amazônica, por exemplo, são extraídos principalmente a castanha-do-pará e o látex. O extrativismo também é praticado em áreas cultivadas especificamente para esse fim, como ocorre no oeste do Paraná com a seringueira.




























Um comentário:

Ju e Ana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.