domingo, 15 de agosto de 2010

REGIÃO NORDESTE: ASPECTOS FÍSICOS

De modo geral, a Região Nordeste apresenta médias de temperatura elevadas e baixos índices pluviométricos.
O Nordeste é a região que recebe menor quantidade de chuvas, especialmente na área onde predomina o CLIMA SEMI-ÁRIDO.
Além da baixa umidade, esse clima caracteriza-se pelas elevadas temperaturas e pelo grande potencial de evaporação.
No clima semi-árido do Nordeste, desenvolve-se a CAATINGA, formação vegetal que se adapta às condições climáticas da região.
Na caatinga predominam as PLANTAS XERÓFILAS, isto é, adaptadas ao clima quente e seco, tais como cactáceas e arbustos de folhas pequenas e raízes compridas.
A região próxima ao litoral nordestino é caracterizada pelo CLIMA LITORÂNEO ÚMIDO que, embora tenha médias de temperatura elevadas, apresenta altos índices de precipitação.
Na área de predomínio desse tipo climático, encontramos VEGETAÇÃO LITORÂNEA, como os mangues e algumas áreas de Floresta Tropical, constituídas da Mata Atlântica.
O CLIMA TROPICAL, associado à formação vegetal do CERRADO predomina em quase todo o estado do Maranhão, oeste do Piauí, norte e leste do Ceará, nas divisas do Rio Grande do Norte e da Paraíba, além do centro-sul da Bahia.
No Nordeste, a distribuição dos rios é de apenas 3%.
Esse fato está relacionado principalmente com a predominância do clima semi-árido. A pequena quantidade de chuva, ou mesmo a sua ausência, em grande parte do ano, afeta a vida da população e a economia de muitos municípios nordestinos.
No Nordeste existem rios que secam nos períodos de estiagem. São os chamados rios INTERMITENTES ou TEMPORÁRIOS.
A maior parte dos rios intermitentes tem seu curso localizado no sertão, onde predomina o clima semi-árido.
Além dos rios temporários, também há os rios que nunca secam. São os chamados rios PERENES ou PERMANENTES.
Com sua nascente localizada no estado de Minas Gerais, na Serra da Canastra, o rio São Francisco é o principal curso de água do Nordeste.
Por ser intensamente utilizado em atividades econômicas, o rio São Francisco vem apresentando sérios problemas como o assoreamento, o desmatamento de suas margens e a poluição.
No que se refere ao relevo da Região Nordeste, de modo geral, encontramos altitudes mais baixas próximas ao litoral, que correspondem à Planície Costeira. As áreas mais elevadas constituem os planaltos, como o Planalto da Borborema, a Chapada Diamantina, a Serra Geral e a Serra Grande.
A seca do Sertão e o sofrimento do povo nordestino tem constituído a explicação para a pobreza e a miséria da população que vive no sertão.
O dinheiro público, que deveria ser investido em projetos para levar água ao Sertão, muitas vezes é destinado a outros fins.
Latifundiários e maus políticos aproveitam-se dos recursos destinados a diminuir as dificuldades causadas pela falta da água no Nordeste. Esse aproveitamento é denominado “INDÚSTRIA DA SECA”.
Segundo especialistas, as águas existentes nos rios do Nordeste seriam suficientes para beneficiar toda a população do Sertão. Mas elas precisam ser bem distribuídas.
Muitos projetos vêm sendo implantados, como a instalação de cisternas (reservatórios de água de chuva).
Um dos grandes projetos de irrigação de terras do Sertão nordestino prevê a transposição das águas do São Francisco.
Isso quer dizer que parte das águas do rio seria levada para abastecer os rios secos das bacias hidrográficas nordestinas.
O projeto porém, gera polêmica entre políticos, técnicos e ambientalistas.
Os que são contrários ao projeto afirmam que os principais beneficiados serão as empresas e os donos das grandes propriedades que produzem para a exportação e não a população pobre do Sertão.
Alegam que a grande soma de dinheiro envolvida deveria ser aplicada em obras menores, como a construção de adutoras, ligando açudes a pequenas propriedades.
Alegam também que o desvio das águas do São Francisco vai prejudicar o uso atual do rio, principalmente a geração de energia elétrica pelas usinas hidrelétricas nele localizadas.
O governo federal e os defensores da transposição rebatem, alegando que esse projeto levará água à população pobre do Sertão, que a quantidade de água desviada não prejudicará as atuais atividades econômicas do rio.












4 comentários:

Amamos isa y alex disse...

ADOREI O SEU TRABALHO QUE ME AJUDOU MUITO NO MEU TRABALHO SOBRE A REGIÃO NORDESTE VALEU POR TER ME AJUDADO AGRADEÇO MUITO

menina-flor disse...

Gosteii do trabalho mim ajudou muito.
Obrigado!!

jogo a jogo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Menina Mimada disse...

Muito obrigado!!!!!! Com certeza vai me ajudar no trabalho!