sábado, 18 de setembro de 2010

CHILE, BOLÍVIA E PERU

CHILE

O território chileno, com 756.626 km², é uma estreita e longa faixa de terra, situada entre a Cordilheira dos Andes e o Oceano Pacífico.
O Chile classifica-se como o país de maior desenvolvimento econômico e social da América Andina.
O expressivo crescimento econômico dos últimos anos resultou da aplicação de um conjunto de reformas, tais como:
1. Redução de impostos;
2. Incentivos à produção e à exportação;
3. Privatização de empresas estatais;
4. Maior abertura da economia aos investimentos estrangeiros.
No entanto, o grande crescimento econômico não foi acompanhado de semelhante desenvolvimento humano, por isso uma parcela significativa da população chilena ainda enfrenta problemas sociais característicos de países subdesenvolvidos.
A grande extensão do território no sentido latitudinal (norte-sul) e a influência climática são responsáveis pela definição de três regiões distintas.
O NORTE possui climas árido e semi-árido. Nessa área encontra-se o Deserto de Atacama.
O CENTRO do Chile é a principal região do país. Beneficiada pela disponibilidade de água e pelo clima temperado, nela localizam-se as principais cidades (Santiago e Valparaíso), a maior parte da população e as atividades econômicas mais importantes.
 O SUL do Chile apresenta clima frio e úmido. Marcado pelo grande vazio demográfico.
Com aproximadamente seis milhões de habitantes, a capital do país, Santiago, concentra cerca de 40% da população chilena e a maior parte das indústrias e dos serviços.

BOLÍVIA

Com uma área de 1.098.581 km², o atual território boliviano resulta dos vários conflitos que envolveram o país após sua independência, em 1825.
A Bolívia tomou parte em disputas com Brasil, Paraguai e Chile. Para este último, perdeu a área do Deserto de Atacama, sua única saída para o mar. Por causa dessa característica de seu território, o país depende dos portos estrangeiros para escoar e receber mercadorias.
Apenas uma porção das terras bolivianas é coberta pela Cordilheira dos Andes, que nessa região se divide em cordilheiras Oriental e Ocidental.
Com uma população total de aproximadamente nove milhões de habitantes, caracterizada pela miscigenação e pela forte presença indígena, a Bolívia é um dos países sul-americanos que apresentam os piores indicadores sociais da região.
Em 1992, os governos do Brasil e da Bolívia assinaram um acordo para a construção de um gasoduto, pelo qual a Bolívia fornecerá gás natural ao Brasil.
Em território boliviano, o gasoduto tem 560 km de extensão, partindo de Santa Cruz de La Sierra até a fronteira com o Brasil. Em território brasileiro, o gasoduto tem 1.400 km, estendendo-se desde Corumbá, no Mato Grosso do Sul, até Guararema, em São Paulo e , daí, em direção ao Porto de Santos e para Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul.
Além do Brasil, os governos de outros países, entre eles Estados Unidos, já manifestaram interesse pelo gás boliviano.

PERU

O território peruano conta com 1.285.216 km², abrangendo uma população de aproximadamente 28 milhões de habitantes, cuja principal característica é a elevada participação de indígenas (46%) em sua composição étnica.
O Peru é o maior herdeiro da cultura inca.
As desigualdades sociais são acentuadas no Peru, país que apresenta uma parcela significativa de sua população vivendo abaixo da linha da pobreza.
Em reação às péssimas condições de vida da população, surgiram grupos guerrilheiros, como o Sendero Luminoso e o Movimento Revolucionário Tupac Amaru, que foram responsáveis por diversos atentados ocorridos no Peru, principalmente ao longo da década de 1980.
O território do Peru é organizado em três grandes áreas:
1. A região costeira (La Costa), entre o Oceano Pacifico e a Cordilheira dos Andes;
2. A região montanhosa (La Sierra);
3. A região da Floresta Amazônica (La Sielva), situada a leste dos Andes.
A região costeira ou litoral, apesar de conter uma grande área desértica, concentra a maior parte da população e as mais importantes cidades, como Lima, a capital do país, Callao, Piura e Trujillo.
A região montanhosa, constituída pela Cordilheira dos Andes, abriga uma parcela significativa da população indígena. Vivendo nas encostas e nos vales férteis, essa população emprega-se como mão-de-obra barata nas zonas de mineração ou desenvolve a agricultura de subsistência.
A região da Floresta Amazônica corresponde a mais de 60% da área territorial do Peru e é pouco povoada.
A Amazônia peruana tem sido utilizada para o cultivo de maconha e coca. A atividade já abrange uma grande extensão de terras e de trabalhadores rurais de baixa renda. A produção peruana de narcóticos é a terceira maior do mundo, sendo superada somente pela de outros países andinos, como a Colômbia e a Bolívia.















2 comentários:

monica disse...

acho o maximo o que esta escrito aqui!!!?

Valdney Silva disse...

vllw! me ajudou muito